Emmys 2018: destaques, decepções e surpresas da lista de indicações

Comments (0) Séries

No final da manhã de quinta-feira (12), foi divulgado os indicados ao prêmio da televisão americana, o Emmy Awards. Se você, assim como eu, só viu a lista mais tarde e perdeu toda a discussão em tempo real das redes sociais, deve ter olhado para a lista com pouco interesse. Claro, com ou uma outra exceção que farei questão de comentar neste artigo que, já clássico depois de tantos anos escrevendo sobre premiações, não preciso mais sequer explicar o seu propósito de existir.

A verdade é que essa é uma das coisas mais legais de acompanhar as premiações: tentar enxergar na lista falhas, isto é, programas ou atrizes e atores que poderiam ter sido indicados e acabaram completamente esquecidos. É óbvio que isso não muda a opinião quanto à série, mesmo porque o Emmy (assim como o Oscar) não está preocupado em premiar o melhor, mas sim o que foi melhor recebido pela crítica. E parece que eles não gostaram de muitas coisas que eu definitivamente gostei neste ano.

Decepções

  • Dentro dessa opção de não ser bem recebido pelos críticos, Twin Peaks: The Return é líder com folga. Inelegível no ano passado, assim como Game of Thrones, a expectativa era de que ambas disputassem o Emmy nas principais categorias. Entretanto, a série dirigida e escrita por David Lynch ao lado do seu parceiro Mark Frost não empolgou os críticos (precisamos saber quem são eles), e deixaram de fora o evento televisivo do último ano (desculpa, Game of Thrones, mas é verdade).

 

  • Com Twin Peaks: The Return fora da lista final de indicados, é previsível esperar qualquer coisa. É incompreensível como The Deuce, Mindhunter e The Chi não estão presentes nas categorias do Emmy. Justificativas como audiência, perdeu o timing (momento) ou não conseguiram estabelecer carreira na temporada de premiações até podem ser convincentes. Mas, ainda assim, incompreensíveis.

 

  • Uma ausência também sentida foi a do ator Noah Emmerich. Não sou um grande fã do seu trabalho, mas ele esteve impecável na última temporada de The Americans. A sequência em que ele intercepta os Jennings em uma garagem talvez seja um dos momentos mais tensos que a TV entregou neste ano. Uma cena chave, muito aguardada e que cumpriu todas as expectativas graças à atuação de todo o elenco e, claro, de Noah Emmerich. Ele merecia essa indicação.

 

  • Ainda procuro explicações para Al Pacino não ser indicado como Melhor Ator Telefilme por seu papel em Paterno. A produção da HBO ganhou a indicação na categoria principal, e a grande estrela do filme que interpreta Joe Paterno não foi indicada. Estranho, para dizer o mínimo.

 

  • Por último, e talvez a decepção mais importante que eu queria ressaltar depois de analisar a lista, é sublinhar que a série Halt and Catch Fire não recebeu nenhuma indicação. Encerrada neste ano, o programa definitivamente estaria entre as melhores séries (dramas) do ano. E isso me leva ao próximo assunto desse artigo.

Destaques e Surpresas

O crítico e editor-chefe de TV do jornal New York Times, James Poniewozik, escreveu algo que concordo plenamente: neste ano as categorias de Comédia estão mais fortes do que em Drama. Ele diz que isso se explica porque, atualmente, a comédia é um gênero que está muito mais em evidência do que o Drama. A diversidade de vozes, e de boas comédias indicadas, ajudam a explicar esse fenômeno na edição deste ano da premiação.

E o que mais podemos destacar? Pretendo fazer isso agora, inclusive mostrando os Destaques que também foram Surpresas.

  • Logo pra começo de conversa, não poderia deixar de mencionar as indicações de The Americans. Não importa se foram para chamar atenção para o grande final da série e para o assunto político do momento, The Americans merece há tempos um reconhecimento por parte dos prêmios depois de já ter conquistado a crítica. E essa última temporada só provou mais uma vez que The Americans merece levar o Emmy, assim como Keri Russell e Matthew Ryhs.

 

  • Mais uma série de comédia merece destaque. Bom, nesse caso é a atriz Zazie Beetz, que ganhou ainda mais importância na segunda temporada de Atlanta, a série favorita a ganhar o Emmy neste ano nas principais categorias. A disputa vai ser boa entre ela e A Maravilhosa Mrs. Maisel.

 

  • Já a categoria de Melhor Ator tem uma situação curiosa de termos quatro atores sendo indicados por duas séries. Sterling K. Brown é, digamos assim, o homem a ser batido no momento. E ele ganhou a companhia de Jeffrey Wright e Ed Harris (ambos de Westworld) e de Milo Ventmiglia, seu colega de elenco em This Is Us. Vai ser interessante ver essa disputa.

 

  • Finalmente Issa Rae ganhou uma indicação. Como o Emmy tradicionalmente repete os indicados, foi importante ver Modern Family longe dos holofotes e uma série nova estreando na premiação. Insecure merecia essa posição. E até que demorou para os críticos perceberem isso.

 

  • Fiquei surpreso com a indicação de Curb Your Enthusiasm. Quando a série passava regularmente sempre havia uma grande expectativa em torno dos episódios. E quando a HBO lançou o seu retorno, esse buzz só aumentou. Mas a temporada foi esquecível, nada inteligente, sagaz ou engraçada como só Curb Your Enthusiasm sabia fazer. E, mesmo assim, a série criada por Larry David foi indicada. Prestígio é tudo, não é?

Por último, há uma história grande nesse Emmy e que talvez marque o início de uma nova Era em termos de formatos que estão sendo experimentados e novos players entrando no mercado de séries. A Netflix, com 112 nomeações, conquistou mais indicações do que a HBO, que ficou com 108. Isso é uma marca histórica para o serviço de streaming e, claro, para a própria TV. Agora com a Disney, Apple e Facebook também se lançando no mercado e sendo bem agressivos, uma nova pluralidade de vozes deve se iniciar – e mais produções inundarão as nossas TVs enquanto reclamamos do tempo que não temos para assistir tudo o que queremos.

O 70º prêmio do Emmy Awards acontece no dia 17 de setembro e será exibida nos EUA pelo canal NBC. Os apresentadores da cerimônia serão Michael Che e Colin Jost, que fazem uma dupla muito boa e afiada no segmento Weekend Update do humorístico Saturday Night Live. Em breve, no Goodfellas, mais artigos especiais pontuarão a nossa cobertura até o dia da premiação (veja como foi a do ano passado).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *