Os livros mais aguardados de 2017

Comments (0) Literatura

Em todo início de ano começamos a ver aquelas listas de principais lançamentos do ano e começamos a nos preparar para receber essas obras ansiosos pela novidade de entrarmos em um novo ano e também por novas histórias, de autores que ficaram um tempo sem escrever e estão prestes a lançar algo novo ou novos que mesmo antes do lançamento já começam a chamar atenção das editoras.

Assim, damos início com esse artigo a uma série de outras listas que iremos produzir para as outras editorias do site com os principais lançamentos que teremos em 2017. Vamos começar pelos livros e o ano promete ter muitas boas histórias para serem lidas.

Vamos começar:

4 3 2 1
Autor: Paul Auster

O autor nova-iorquino não escreve há sete anos e por isso o seu novo romance, que chega às livrarias no dia 31 de janeiro, é um dos mais aguardados nesse primeiro semestre.

Responsável por obras como “A Invenção da Solidão” (quando ele exercita seu lado de crítico literário) e “Achei Que Meu Pai Fosse Deus” (uma antologia de histórias organizada por ele e escrita por americanos de diversas idades, profissões, etnias e classes sociais), “4 3 2 1” é um retorno ao tema da “casualidade” que tanto guia seus romances (“Leviatã” e “Invisível”, por exemplo).

Segundo a editora ASA, a narrativa é “centrada na história épica de Achibald Isaac Ferguson, a quem são dados quatro caminhos ficcionais diferentes, quatro direções possíveis; quatro vidas paralelas e absolutamente diferentes, que estão à mercê das circunstâncias, do acaso e das escolhas”.

Heather, the Totality
Autor: Matthew Weiner

Conhecido por ser o criador da aclamada e premiada série Mad Men (2007-2015), Matthew Werner estreia nesse ano na literatura. Em entrevista no ano passado ao jornal NY Times, ele disse que a inspiração para esse livro surgiu ao escutar uma conversa entre duas garotas no bairro Upper East Side, em Nova York.

“Heather, the Totality” vem sendo descrito pela editora Little, Brown and Company como uma “fábula sombria ambientada na Manhattan contemporânea e que segue as perspectivas de múltiplos personagens obcecados por uma adolescente”.

Já há um direito de tradução para o livro ser lançado em dez países, inclusive o Brasil (algo que deve acontecer no segundo semestre do ano).

O livro que durou 30 anos para Ariano Suassuna finalizar chega às livrarias nesse ano. | Foto: Reprodução

Ilumiara – Romance de Dom Pantero no Palco dos Pecadores
Autor: Ariano Suassuna

Morto em 23 de julho de 2014, o escritor Ariano Suassuna trabalhou por mais de trinta anos nesse livro cujo projeto ele costumeiramente chamava de “a obra da minha vida”. E ele estava mais do que correto ao dizer porque trata-se realmente de uma reunião de tudo o que produziu e criou. ‘Ilumiara’ é mais um neologismo usado por Suassuna para expressar a reunião de todo o seu acervo literário (prosa, poesia, teatro e arte).

Dividido em dois volumes, intitulados “O Jumento Sedutor” e “O Palhaço Tetrafônico”, o projeto editorial do livro está sendo coordenado por seu filho, o artista plástico Manuel Dantas Suassuna, que conseguiu levar toda a obra do seu pai para a editora Nova Fronteira. Ao longo do ano, a obra do autor pernambucano será relançada com novas edições e ajudará a promover esse novo livro.

O romance escrito por Ariano desde a década de 80 é composto por andamentos musicais e ilustrado por ele mesmo com desenhos que remetem à arte barroca e rupestre. Além dos livros, uma obra videográfica em DVD também fará parte da edição, cuidados que Suassuna teve até poucos dias antes de morrer segundo relatos de Carlos Newton Júnior, pesquisador da obra do autor e que afirmou que “este livro de Ariano Suassuna será para poucos”.

A Face Serena
Autora: Maria Valéria Rezende

Após vencer o Prêmio Jabuti em 2014 com o livro “Quarenta Dias”, a escritora santista e que vive hoje na Paraíba, Maria Valéria Rezende, lança neste ano “A Face Serena”. Freira desde os 24 anos, Maria Valéria Rezende nesse novo livro reúne uma série de contos que vão na contramão dos seus últimos trabalhos, os romances “Quarenta Dias” e “Outros Cantos”, dois livros ambientados no sertão e cujas protagonistas são professoras.

Em entrevista à revista Época, Maria Valéria Rezende disse que “há sertões escondidos em todas as rachaduras do mundo, nos avessos de todas as cidades. Quero que meus livros mostrem esses sertões escondidos”. E nós queremos ler e descobrí-los.

A ganhadora do prêmio Jabuti de 2014 lança nesse ano um novo livro. | Foto: Reprodução

Os Criadores de Coincidências
Autor: Yoav Blum

O livro mais concorrido durante a Feira de Frankfurt no ano passado, “Os Criadores de Coincidência” teve 40 mil cópias vendidas em Israel, país-natal do autor Yoav Blum, que faz a sua estreia na literatura com essa obra, e foi publicado apenas em hebraico pela editora Keter.

O livro conta a história de Guy, Emily e Eric, formados em um curso de “criação de coincidências”, eles são responsáveis por criarem fenômenos coincidentes na vida de outras pessoas. Eles criam momentos aleatórios que vão desde um encontro amoroso no futuro, um momento de inspiração que ajudam as pessoas na tomada de decisões ou constroem cenários cujas coincidências causam importantes descobertas científicas.

A situação dos três “fabricantes de coincidência” muda quando Guy recebe uma nova missão e um assassino misterioso aparece na cidade, incitando forças ocultas que forçarão os três a enxergarem o destino e o livre-arbítrio de uma outra forma. O livro deve chegar ainda no primeiro semestre de 2017 nas livrarias brasileiras.

Arte do Futuro
Autor: Ferreira Gullar

O escritor Ferreira Gullar, morto em dezembro, chega às livrarias em 2017 com duas obras inéditas. Uma ainda sem nome (e a que o Trívia mais aguarda) e outra intitulada “Arte do Futuro”.

A primeira, ainda sem título definido como dissemos, reunirá textos e artigos sobre Arte escritos por Ferreira Gullar em diversas épocas. São mais de 100 artigos, escolhidos pelo próprio poeta e que está sendo organizado pela editora Autêntica. Essa edição deverá ser lançada até junho desse ano.

O outro livro se chama “Arte do Futuro” e é o último texto escrito (que na realidade foi ditado pelo autor, que já estava internado e bastante debilitado na Casa de Saúde, no Rio de Janeiro) e ainda pouco se sabe sobre o livro, que deverá sair somente no 2º semestre. Mas nós já estamos de olho e com muita vontade de ler esses dois trabalhos.

Sing, Unburied, Sing
Autora: Jesmyn Ward

A autora Jesmyn Ward ganhou notoriedade no mercado literário quando venceu em 2011 o National Book Award, maior prêmio da Literatura americana, com o livro “Salvage the Bones”. No romance, Ward relata a sobrevivência de uma família durante o furação Katrina, desastre natural que atingiu a cidade de Nova Orleans.

gora, seis anos depois, ela volta aos holofotes com o livro “Sing, Unburied, Sing”. O romance acompanha uma família que vive na região rural do estado do Mississippi, que também fez parte do seu premiado livro anterior, e sua luta constante para sobreviver e superar os preconceitos que cercam o lugar.

Machado
Autor: Silviano Santiago

A figura de Machado de Assis, assim como a de Carlos Drummond de Andrade, sempre irá causar um certo fascínio, um desejo por conhecer mais profundamente a pessoa por detrás das obras. É o que fez o escritor carioca Silviano Santiago, que se debruçou nos quatro últimos anos do autor de “Dom Casmurro”, dentre outros clássicos literários, para recriar os momentos de um Machado solitário e vivendo a perda da sua esposa, Carolina.

Machado, o título do livro que sai nesse ano pela Companhia das Letras, evoca os problemas crescentes com a epilepsia e as intrigas do Rio de Francisco Pereira Passos. Em recente entrevista ao jornal O Globo, Silviano disse que buscou referências da vida de Machado com a sua própria.

Ele diz que “me fascina escrever sobre esse tipo de experiência da velhice, em que o prazer enquanto tal desaparece aos poucos, até a sexualidade muda, e vamos nos descampando por compensações”. O livro já será lançado no dia 16 de janeiro (segunda) e mal esperamos para ler.

Terceiro romance de Jonathan Safran Foer chega ao Brasil em 2017. | Foto: Reprodução

Sour Heart
Autora: Jenny Zhang

Jenny Zhang é uma autora pouco conhecida mas que já vinha escrevendo e divulgando seus escritos em Nova York. Mas faltava atingir o grande público. Há quase um ano seus textos fazem parte da newsletter semanal Lenny Letter, escrita e concebida por Lena Dunham (criadora de Girls) e Jenny Konner (produtora da série da HBO). A partir daí Zhang deixou de ser uma desconhecida e seus textos passaram a receber muitos elogios da crítica literária nova-iorquina.

“Sour Heart” (que chega em Agosto desse ano nas livrarias aqui do Brasil) é o primeiro livro editado e publicado pelo selo Lenny. A história contada por Jenny Zhang promete dialogar mais com o perfil de jovens de Nova York, já que o conjunto de crônicas adentra nesse mundo para discutir as tendências e as vidas caóticas que alguns desses jovens levam na cidade.

Mas é possível que públicos de outros países possam se enxergar nos textos de Jenny Zhang. Para conhecer um desses artigos e ir se enturmando mais com a obra da autora, leia este que saiu recentemente no boletim da Lenny.

Aqui Estou Eu
Autor: Jonathan Safran Foer

“Aqui Estou Eu” é apenas o terceiro romance de Jonathan Safran Foer, autor de “Extremamente Alto, Incrivelmente Perto” e “Tudo se Ilumina”. Porém, o escritor conquistou um enorme público e hoje qualquer lançamento seu, ou qualquer entrevista que ele conceda, rapidamente ganha os holofotes (como esta que ele deu ao The Guardian há alguns meses.

Em seu novo livro, que já foi lançado nos Estados Unidos no final do ano passado mas que só chega ao Brasil agora em 2017, há duas crises que formam a história: a primeira delas, e que está em primeiro-plano, mostra o casamento de Julia e Jacob se dissipando e evocando uma série de crises familiares que atinge toda a sua família, constituída de três filhos. Enquanto a casa desmorona sob as suas cabeças, um terremoto atinge o Oriente Médio e Israel invade a região.

Esse é mais um livro que estamos muito curiosos em ler porque devoramos rapidamente seus últimos dois livros e nos tornamos realmente fãs do autor, de acompanhar mesmo seus lançamentos. “Aqui Estou Eu” recebeu boas críticas pela mídia especializada internacional e esperamos que chegue ainda nesse primeiro semestre por aqui.

E vocês? Quais livros pretendem ler nesse ano? Conte pra gente nos comentários abaixo e nos ajude também com boas dicas de leitura para lermos em 2017.

[Crédito da Imagem de Capa: Reprodução]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *